Catástrofes Aéreas – Erro Humano

Catástrofes Aéreas – Erro Humano
Em 17 de janeiro de 2008, o voo 38 de British Airways está em sua aproximação final à terra, quando o comando do auto throttles aumentou o impulso dos motores. Os motores não respondem aos comandos dos pilotos e permanecem em baixa rotação. O capitão ergue o nariz da aeronave para lhe dar mais alguns metros  de distância. Ela se choca com a pista sem nenhuma fatalidade registrada.

Assista Também:

Mayday Desastres Aéreos – T10E02 – Enigma de Heathrow – British Airways 38
Mayday Desastres Aéreos – ESPECIAL 1 E07 – A Peça do Quebra-Cabeça
Tragédias Aéreas Recriadas – T01E10 – BA38 – British Airways
Mayday Desastres Aéreos – ESPECIAL T01 E07 – A Peça do Quebra-Cabeça



Tags:

O voo 38 da British Airways foi um voo internacional programado de passageiros do Aeroporto Internacional Capital de Pequim em Pequim , China, para o Aeroporto London Heathrow em Londres , Reino Unido, uma viagem de 8.100 quilômetros (4.400 milhas náuticas; 5.000 milhas). Em 17 de janeiro de 2008, a aeronave Boeing 777-200ER que operava o voo caiu perto da pista durante o pouso em Heathrow. Nenhuma fatalidade ocorreu; das 152 pessoas a bordo, 47 sofreram ferimentos, um grave. Foi a primeira vez na história do tipo de aeronave que um Boeing 777 foi declarado como perda de casco e posteriormente cancelado.

O acidente foi investigado pela Divisão de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB) e um relatório final foi emitido em 2010. Cristais de gelo no combustível de aviação foram apontados como a causa do acidente, entupindo o trocador de calor de óleo combustível (FOHE) de cada motorIsso restringia o fluxo de combustível para os motores quando o empuxo era exigido durante a aproximação final para Heathrow. A AAIB então identificou o problema raro como específico dos FOHEs do motor Rolls-Royce e a Rolls-Royce desenvolveu uma modificação para seu FOHE; Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) determinou que todas as aeronaves afetadas fossem equipadas com a modificação antes de 1º de janeiro de 2011.

Um comentário em “Catástrofes Aéreas – Erro Humano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *